Wednesday, April 19, 2006

“Strangers in the night”

Calhou hoje em conversa com um amigo muito especial o tema do Amor.

A páginas tantas encalhei numa pergunta: “Porquê que tantas pessoas têm medo de Amar?”

O verdadeiro Amor, tem várias faces, e uma delas é a paixão e atiçá-la num coração que está como seara seca é convidar o descontrolo.

Mas a verdade é que o Amor não se controla, quando duas pessoas decidem juntas tentar o seu Amor, não há roteiros, não há mapas, não há guias, não há outros, há apenas aquelas duas pessoas e o desconhecido.

Ninguém gosta de embarcar numa viagem de que desconhece o fim e sobretudo o itinerário. Seja porque se tem medo de magoar o outro ou de se magoar a si próprio.

Também não deixa de ser verdade é que o Amor é vivido a dois e a decisão de percorrer aquele caminho é de ambas as pessoas envolvidas, e só percorrem até onde se sentem confortáveis e até onde quiserem ir.

Não é possível dizer que se viverá “feliz para sempre”, isso só acontece nos romances e nas histórias, a vida teima em trazer à nossa mesa algumas prendas amargas e essas, mais adiante são para ser suportadas pelos dois.

A questão é se ambos são capazes de aguentar as circunstâncias e se são capazes de as aguentar juntos, apoiando-se mutuamente e amparando-se.

O caminho do Amor não é passível de ser desvendado, é esse o mistério, no fundo se preferirem é uma questão de fé. Não existem dois amores iguais, não se sente a mesma coisa por duas pessoas diferentes.

O que torna o Amor tão especial é que sempre que aparece voltamos à estaca zero de uma estrada ou viagem da qual desconhecemos o ponto de chegada e as etapas são definidas a dois.

Das decisões tomadas a dois nasce a ternura, a confiança e o respeito um pelo outro. Não que não devesse existir já, mas torna-se diferente, arrisco mesmo dizer que se torna numa admiração muito especial.

3 Comments:

Blogger DIV de divertida said...

Amor?
O que é isso???

Só conheço o incondicional pela minha filha.
Mas esse não conta para aqui, pois não?!

Paixão!
Essa sim, tenho conhecido algumas vezes, mas sempre com um final de raiva de ambas as partes.
Sim, enquanto dura é boa, mas o sofrimento que trás no final leva-me sempre a pensar que não vale a pena voltar a vivê-la.

São opiniões...

Gosto deste blog. É giro!

jocas

April 19, 2006 12:00 PM  
Blogger inBluesY said...

a vida é mesmo isso ora bons ora maus momentos, do amor ou relações, aprender a viver com o outro, partilhar espaços, ter o seu e respeitar o espaço do outro, é complicado, apesar de não entender pq na amizade tb se respeita os espaços, mas ok, não partilhamos dinheiros, sexo e por ai, e a rotina mata qualquer sentimento e o respeito terá de prevalecer, ao fim ao cabo é necessário muito bom senso, como em tantas outras coisas na vida, enfim!

confesso que não gosto da paixão, pela rapidez e pelos excessos, pela ausência de equilibrios.

bjs

April 19, 2006 1:59 PM  
Anonymous marta said...

Gostei mto deste teu texto!
As pessoas têm muito medo de sofrer, de ser rejeitadas e por isso rejeitam o amor verdadeiro! Exigem do outro aquilo que elas proprias não o são! Exigem que o outro lhes dê aquilo q elas proprias n têm para dar. Querem que o outro preencha o buraco que elas têm no peito, o pior é q o outro tb tem esse buraco, tb vai cobrar, tb vai esperar de nós aquilo q nós não somos, logo as coisas não funcionam.No fundo o outro muitas vezes não é mais do que o nosso próprio espelho! O amor é uma partilha! Ninguem consegue amar incondicionalmente o outro sem antes se amar primeiro a si proprio e aí sim, estará livre para partilhar esse sentimento, ou n fosse o amor a melhor coisa que temos na vida e a unica que nos faz verdadeiramente voar!

April 19, 2006 7:04 PM  

Post a Comment

<< Home